Texto -A +A

Riscos do consumo de bebidas alcoólicas

Saúde na escola

Os riscos do consumo de bebidas alcoólicas são mais graves naquelas pessoas que consomem altas doses de álcool semanalmente.
Publicidade

O álcool é uma droga utilizada por uma considerável parcela da população e que, normalmente, não é visto como um problema pela sociedade. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de dois bilhões de pessoas fazem uso de bebidas alcoólicas, o que representa um grave risco à saúde da população.

O álcool é um depressor do cérebro que, quando consumido, cai rapidamente na corrente sanguínea e é levado para outras partes do corpo, desencadeando diversos sinais. Pessoas que consumiram álcool podem apresentar, por exemplo, falta de coordenação motora, alterações de atenção, rubor na face, edema nas pálpebras, vertigens, suores, tremores, vômitos, câimbras, dores abdominais, taquicardia, entre outros sintomas. Além dessas características físicas, o álcool pode desencadear problemas psicológicos, como ansiedade, irritabilidade, depressão, insônia, entre outros. Vale destacar que o consumo exagerado pode levar até mesmo à morte.

O uso moderado do álcool não causa consequências graves para o organismo, mas muitas pessoas não sabem dosar o consumo e acabam fazendo uso abusivo de bebidas alcoólicas. De acordo com a OMS, homens podem consumir até 15 doses de álcool por semana sem que a substância lhe cause danos à saúde. Já as mulheres podem beber até 10 doses. Segundo a organização, uma dose corresponde a 14 g de álcool da bebida e, para calcular o volume que pode ser tomado, deve-se multiplicar a quantidade de bebida pela sua concentração alcoólica. Isso quer dizer, por exemplo, que uma dose corresponde a 350 ml de cerveja ou 150 ml de vinho.

É importante salientar que, mesmo em doses pequenas, o álcool desencadeia alterações no organismo que podem colocar a vida do usuário em risco. Apesar de não causar danos graves à saúde, a alteração na atenção do usuário, por exemplo, pode fazer com que ele sofra um acidente ao dirigir. Outro exemplo são pessoas que consumem álcool e adotam comportamentos sexuais de risco, tais como atividade sexual desprotegida. Assim sendo, o melhor é assumir que não existe quantidade segura no consumo de álcool.

Pessoas que fazem consumo constante e em grande quantidade de álcool podem sofrer com complicações em virtude do uso crônico da substância. Entre as complicações mais comuns, podemos citar as gastrites, úlceras, hepatites, anemias, hipertensão arterial, cirrose, pancreatite e acidentes vasculares encefálicos. Além disso, existem fatores psicológicos, como a ansiedade e a pertubação do humor, que podem perdurar por momentos além do consumo.

Pessoas que são dependentes do álcool precisam de ajuda para evitar danos graves à saúde e até a morte. Por ser uma doença complexa, causada por diversos fatores, na maioria das vezes, são necessárias intervenções psicoterapêuticas e psicofarmacológicas. Participar de grupos como os Alcoólicos Anônimos pode ajudar a solucionar o problema.

Atenção: Bebidas alcoólicas não devem ser usadas em hipótese alguma por mulheres grávidas e amamentando, pessoas que realizarão atividades de risco, como operar máquinas e dirigir, pessoas que apresentam doenças que podem ser agravadas com o consumo da substância e pessoas que estão fazendo uso de medicamento que pode interagir com o álcool.


Por Ma. Vanessa dos Santos

Publicidade

Dica de matemática

Encceja

Encceja

Curiosidades

Geografia

Você Sabia?