Texto -A +A

Quando a criança não deve ir à escola?

Saúde na Escola

Quando a criança não deve ir à escola? Essa é uma pergunta que confunde muitos pais que estão lidando com filhos doentes.
Publicidade

É muito comum que pais fiquem confusos quando o assunto é deixar seu filho faltar a escola. A perda de tarefas e conteúdos é realmente uma questão séria, entretanto, algumas doenças podem agravar-se, caso a criança não fique em repouso, ou ainda colocar outras pessoas em risco de contaminação.

  • Quando as crianças devem ficar de repouso?

Para saber se a criança com mal-estar deve ou não ir à escola, é importante avaliar o quadro clínico e analisar se os sintomas realmente necessitam de repouso.

Um dos sinais que merecem atenção é a febre, que funciona como um alerta de que o corpo não vai bem e necessita de atenção. A febre está ligada a diferentes quadros, desde infecções de curso rápido até problemas graves, como neoplasias. Por isso, é fundamental atenção e cuidado.

Quando uma criança está com febre, o ideal é mantê-la hidratada e em repouso até que o diagnóstico correto seja realizado. É fundamental buscar ajuda médica em casos de febre alta e quando ela não cessa rapidamente.

Além da febre, outros sinais e sintomas devem ser verificados antes de enviar a criança à escola. Vômitos e diarreias, por exemplo, podem indicar doenças infecciosas, além de causar grande desconforto no paciente. Nesse caso, a melhor opção é manter a criança em repouso.

Manchas na pele também são sinais que merecem cuidado, uma vez que podem indicar uma alergia ou até mesmo uma doença mais grave, como a dengue ou a zika. Diante da falta de um diagnóstico, muitas vezes, é melhor permanecer em casa.

  • Quais doenças infantis necessitam de afastamento da escola?

Todas as crianças com doenças contagiosas não devem frequentar a escola. Isso acontece porque o comparecimento do doente na aula pode causar contaminação de outros indivíduos. Assim sendo, o ideal é cuidar do filho em casa para evitar a exposição de outras crianças.

Entre as principais doenças infantis que necessitam de afastamento escolar, destacam-se:

  • Caxumba: é uma doença que afeta as glândulas salivares na região próxima aos ouvidos, desencadeando dor ao mastigar e engolir, dores de cabeça, febre e dores musculares. Pode ser transmitida pelo contato com secreções e, portanto, o indivíduo deve evitar locais com grande quantidade de pessoas.

  • Catapora ou varicela: Essa doença é bastante conhecida, principalmente por deixar a pele repleta de manchinhas vermelhas que provocam coceira. A doença pode ser transmitida pela saliva lançada no ar pela tosse ou espirro ou, ainda, pelo contato com a secreção das bolhas.

  • Rubéola: provoca manchas avermelhadas na pele e pode desencadear febre, dores de cabeça, mal-estar e dores de garganta. Assim como as outras doenças citadas, pode ser transmitida por gotas de saliva liberadas no ar, sendo necessário, portanto, isolamento. A doença também pode ser passada da mãe para o filho durante a gestação.

  • Conjuntivite: provoca lacrimejamento, visão borrada, inchaço das pálpebras e olho vermelho. O contágio, caso a doença seja desencadeada por vírus ou bactéria, ocorre pelo contato direto com o paciente e, portanto, o ideal é que este não frequente ambientes fechados, como as escolas. Em conjuntivites alérgicas, não há necessidade de afastamento escolar.

Publicidade

Dica de Português

Enem 2017

Enem

Baleia Azul

Baleia Azul

Por que vacinar?

Atualidades