Texto -A +A

Cólica menstrual

Saúde na escola

A cólica menstrual pode ou não estar relacionada com problemas no sistema reprodutor, como a endometriose.
Publicidade

A cólica menstrual, também chamada de dismenorreia, é um problema que tem impacto em toda sociedade, uma vez que afeta diretamente a vida da mulher, que, muitas vezes, interrompe suas atividades diárias por causa do problema. Por afetar intensamente o cotidiano feminino e estar relacionada com problemas de saúde, a cólica menstrual deve ser tratada e avaliada com seriedade pelos profissionais da saúde.

O que é a cólica menstrual?

A cólica menstrual é uma dor no baixo-ventre que ocorre antes ou durante o período menstrual. Ela acomete cerca de 90% das mulheres e é uma das maiores reclamações de pacientes que visitam os ginecologistas. Em casos de cólicas intensas, a dor pode ser acompanhada de vômitos e dores em outras partes do corpo, como pernas, costas e de cabeça.

Geralmente o problema está relacionado com a produção de prostaglandinas, que são responsáveis pelas contrações. Entretanto, a cólica nem sempre é um evento comum, podendo estar também associada a doenças do aparelho reprodutivo.

Quando a cólica menstrual não está associada a problemas de saúde, denominamos o problema de dismenorreia primária. Normalmente esse tipo de dor diminui com os anos ou com a gestação. Por outro lado, quando a cólica menstrual está relacionada com doenças, como endometriose, miomas e anormalidades anatômicas, a dor é denominada de dismenorreia secundária.

O que fazer em casos de cólica menstrual?

Quando a cólica menstrual afeta a qualidade de vida de uma mulher, é necessário procurar ajuda. O ginecologista é o médico indicado para avaliar o problema e identificar se o caso é uma dismenorreia primária ou secundária. Essa distinção é fundamental para que o tratamento seja efetivo.

Em casos de dismenorreia primária, normalmente a recomendação é o uso de anti-inflamatórios no período menstrual, uma vez que esses produtos inibem a produção de prostaglandinas. Também pode ser recomendado o uso de anticoncepcionais, a prática de exercícios e uma dieta mais saudável, sem, por exemplo, frituras e carne vermelha, que são apontadas como alimentos que pioram a cólica. Quando a dor já está estabelecida, um banho morno e uma bolsa de água quente podem ajudar a aliviar a dor.

Nos casos de dismenorreia secundária, o tratamento é diferenciado em cada caso, uma vez que os problemas orgânicos que desencadeiam a dor são diferentes em cada indivíduo. Para tratar a cólica nesses pacientes, é importante verificar o problema e ir diretamente no foco.

Curiosidade: Você sabia que a acupuntura tem se mostrado muito eficaz no tratamento da dismenorreia? Alguns trabalhos mostraram que a técnica realmente ajuda a melhorar a dor, sendo, portanto, uma opção de tratamento.


Por Ma. Vanessa dos Santos

Publicidade

Dúvida de Português

Vestibular

Enem

Hand Spinner

Curiosidades

Você Sabia?