Texto -A +A

Segunda Teoria do Aparelho Psíquico

Psicologia

Publicidade

Entre 1920 e 1923, depois que Freud distinguiu os conceitos de consciente e inconsciente, esse introduziu os conceitos de id, ego, superego.

O id é o que está anterior ao inconsciente, seria a parte mais primitiva, o id age conforme as manifestações do princípio de prazer, ou seja, sua função é a obtenção de satisfação a qualquer preço, sem noção alguma de juízo, valor, moralidade, bem ou mal. O ego faz o papel de mediador entre as exigências do id e do mundo externo, age conforme o princípio de realidade empenha-se em reduzir a tensão do id até encontrar o objeto para satisfazê-lo. O superego é a moralidade, as regras, sua função é inibir a satisfação do id.

O ego tem uma função intermediária, o que pode gerar conflito no interior da personalidade humana, uma vez que ocupa uma posição difícil, sendo pressionado por forças insistentes e opostas. Ele tem a função de adiar a satisfação imediata exigida pelo id, agir sobre o meio para aliviar as tensões do id, e ainda confrontar-se com as regras e a moralidade do superego.

De acordo com esta teoria, a ansiedade pode ser explicada como resultado inevitável do ego diante de uma pressão grande e tem como função advertir o ego que ele está sendo ameaçado. A ansiedade é vista como um obstáculo ao crescimento, pois o problema principal da psique é encontrar maneiras de enfrentá-la. Sendo assim o ego desenvolve os mecanismos de defesa para proteger-se contra a ansiedade.

Por Patrícia Lopes

Publicidade

Dica de matemática

Encceja

Encceja

Curiosidades

Geografia

Você Sabia?