Texto -A +A

O que é intemperismo?

O que é Geografia?

O conceito de intemperismo está associado aos processos de desagregação e decomposição das rochas e dos solos.
Publicidade

O intemperismo é o processo de transformação das rochas por desagregação (física) ou decomposição (química) de suas estruturas, dando origem aos sedimentos e interferindo em processos sedimentares, como a erosão, a diagênese e a pedogênese (formação dos solos).

As rochas, ao aflorarem na superfície, tornam-se expostas aos agentes externos ou exógenos de transformação do relevo, tais como a água e a força dos ventos. Com isso, elas desagregam-se em processos de oxidação ou “lavagem” de suas coberturas, além de permanecerem expostas às variações de temperatura. Todos esses efeitos são considerados eventos intempéricos.

O intemperismo químico ocorre quando há uma decomposição dos minerais que estruturam as rochas. Esses minerais transformam-se de primários para secundários, a exemplo dos argilominerais. Quando uma rocha decompõe-se e o seu material transforma-se em argila pela ação da água, temos aí um exemplo de intemperismo químico.

O intemperismo físico ocorre quando há uma desagregação ou quebra das partículas de rochas, sendo que as suas estruturas fragmentam-se em pequenos sedimentos. Quando uma rocha se quebra em vários pedaços ou partículas de poeira, temos um exemplo de intemperismo físico.

Existem vários fatores que controlam a ação do intemperismo. Os principais são o clima, o relevo, a composição da rocha-mãe, o seu tempo de exposição e a ação dos seres vivos.

O clima é o mais relevante fator de influência e controle sobre o intemperismo. Isso porque ele interfere na ação dos principais agentes de decomposição e desagregação das rochas, como a água (controlada pelo regime de chuvas) e as temperaturas. Se chove muito em uma região, aumentam os casos de intemperismos químicos; se a estiagem prolonga-se, aumentam os casos de intemperismos físicos, uma vez que as rochas e os solos desagregam-se em função do calor.

O relevo influencia o intemperismo através de suas fisionomias e disposições. Um exemplo é a declividade. Em zonas de declives acentuados, a água corre mais rápido, gerando um maior impacto sobre as rochas e proliferando ações intempéricas.

A composição da rocha-mãe também é um fator muito importante nesse processo. Isso significa que rochas que possuem minerais mais resistentes tendem a ser igualmente mais resistentes às ações do intemperismo.

O tempo de exposição dessa rocha à ação dos agentes intempéricos também é outro ponto de destaque. Formações que se afloraram na superfície em tempos geologicamente remotos apresentam um maior grau de transformação, enquanto relevos mais jovens costumam ser mais acidentados e menos sedimentados.

Os seres vivos, embora em menor intensidade, também contribuem para as transformações ocasionadas pelo intemperismo. A deposição de matéria orgânica nos solos, por exemplo, aumenta a acidez da água e favorece a decomposição química de alguns minerais que compõem as rochas, que vão sendo destruídas aos poucos.


Por Me. Rodolfo Alves Pena

Publicidade

Dúvida de Português

Vestibular

Enem

Hand Spinner

Curiosidades

Você Sabia?