Texto -A +A

O que é soro antipeçonhento?

O que é Biologia?

Os soros antipeçonhentos são utilizados em casos de picada de cobra, escorpião e aranhas.
Publicidade

Sabemos que existem diversos animais peçonhentos no nosso país, um grupo variado de cobras, aranhas e escorpiões. Dentre os animais peçonhentos encontrados no Brasil, podemos citar: jararaca, surucucu, cascavel, coral-verdadeira, aranha-armadeira, aranha-marrom, tarântula, escorpião-preto e escorpião-amarelo.

A picada desses animais pode desencadear diversos processos no nosso corpo que vão desde uma dor local até a morte. Para diminuir os efeitos dessas toxinas e evitar maiores complicações são utilizados os chamados soros antipeçonhentos.

O soro é produzido por algumas empresas e comprado pelo Ministério da Saúde, que faz o papel de distribuição para todo o país. Esses soros são distribuídos gratuitamente para pessoas que sofreram algum tipo de acidente com esses animais.

Para a produção do soro, é necessário injetar o veneno desidratado e cristalizado em um cavalo. O cavalo, então, passa 40 dias em um processo denominado hiperimunização. É nesse período que o cavalo vai produzir os anticorpos contra o veneno injetado. Passado esses 40 dias, uma amostra de sangue é retirada e analisada para verificar a quantidade de anticorpos produzida. Quando o teor de anticorpos é atingido, faz-se a retirada do sangue do animal. O plasma, parte que contém os anticorpos, é separado das hemácias e é levado para análises de qualidade.

Quando uma pessoa sofre um acidente com animal peçonhento, o soro é então injetado. Como o soro apresenta anticorpos contra um determinado veneno, há uma ação de combate rápida. Como as toxinas agem com rapidez, não é possível que nosso corpo sozinho consiga ter uma resposta imunitária.

Dentre os soros produzidos no Brasil, podemos citar:

Antilatrodéctico:  contra o veneno da aranha viúva-negra. Esse soro só é produzido pelo Instituto Vital Brazil.

Antiaracnídico: contra o veneno de aranhas do gênero Phoneutria (armadeira), Loxosceles (aranha-marrom) e escorpiões brasileiros do género Tityus.

Antiescorpiônico: contra o veneno de escorpiões brasileiros do gênero Tityus.

Antilonômico: contra o veneno de taturanas do gênero Lonomia.

Antibotrópico: contra o veneno de jararaca, jararacuçu, urutu, caiçaca, cotiara.

Anticrotálico: contra o veneno de cascavel.

Antilaquético: contra o veneno de surucucu.

Antielapídico: contra o veneno de coral.

Antibotrópico-laquético: contra o veneno de jararaca, jararacuçu, urutu, caiçaca, cotiara ou surucucu.

Em caso de acidente com algum desses animais peçonhentos, procure um médico imediatamente e tente levar o animal junto com você. Isso facilita na escolha de qual soro indicar. Lembre-se também de não fazer torniquetes ou garrotes, não cortar e não colocar nenhuma substância no local da picada.


Por Ma. Vanessa dos Santos

Publicidade

Pleonasmos Viciosos

Fique esperto!

Enem

Dinossauros

Você Sabia?

Curiosidades